Tuesday, April 10, 2007

o medo de existir


na semana passada, em um concurso da RTP (canal de televisao pùblico), o ex ditador português antonio salazar foi eleito com o voto de mais de 150 000 telespectadores como "o melhor português de sempre".

salazar foi o fundador de um regime autoritário de direita (puro pleonasmo...) que controlou a vida econômica, social e cultural de Portugal entre 1933 e 1974, quando um golpe militar quase sem derramamento de sangue converteu Portugal numa democracia.

hoje, 33 anos depois, com portugal ainda em dificuldades de se levantar deste passado escuro, o que isto significa? um anti 25 de abril? uma perda de memòria? uma verdadeira vocaçao reacionària portuguesa?

e eu que achava que o melhor português de sempre era o Scolari...



*imagem gentilmente roubada do www.fotolog.com/marcelotarta

6 comments:

Núria said...

medo do medo de ter medo do medo...

vera said...

ahahahah
showwww mussst gooo onnnnnn!!

macaco said...

ui, quanta menina

Anonymous said...

yo creo que el melhor portugues de sempre es el director de la cadena de television. Genial el tipo. Increible. En agradecimiento le enviaré una caja de galletitas de esas que come bush.

andre le boulanger

Bernardo & Diogo Jurema said...

joão. faço duas observões.
1) regime autoritário também pode ser de esquerda, viu (Afora os exemplos históricos - cuba, urss, china - temos hoje nossa vizinha venezuela).
2) faria uma ressalva a essa pesquisa. ela não foi uma pesquisa científica. foi pesquisa com a "audiência"... Não creio que seja representativa de um estado de espírito nacional. Melhor não tirar muitas conclusões a partir dela...

underskin said...

berna, obrigado pelas observaçoes, o fato é que eu também jà tinha lembrado que existem regimes autoritàrios de esquerda, mas foi depois de escrever o post... a pressa é inimiga...
quanto a ressalva à pesquisa, sei que existe uma enorme diferença entre "ciência" e "audiência", no entanto considero importante nao ignorar estas informaçoes talvez mais informais, mas nem por isto nulas, pelo contràrio: inseridas no meio de comunicaçao vigentes, formadores de opiniao, termometros do que vê ouve e pensa a maior parte da sociedade atual, etc e tal...